Quer achar algo?

Google

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Queria..


Queria desenhar corações na areia
te segurar no colo, 
quando a água fria molhar seus pés.

Queria escrever nossas iniciais em árvores
pra que fique lá, 
no mesmo lugar, sempre que fossemos ver.

Queria brincar de ver desenhos em nuvens
contornar desenhos em estrelas
olhar a lua, através de seus olhos.

Queria dançar na chuva, com você
te acolher em meus braços, 
quando sentir medo dos trovões

Queria, apenas, estar ao seu lado
brincando, te olhando, abraçando
te amando.


quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009


Sem palavras
apenas pensamentos e saudade.
Desejos e vontade

Sem palavras
apenas o silêncio do olhar
o gosto, ao sonhar

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009




É estranho o amor..
Ele acontece sem que saibamos, ou possamos explicá-lo.
Ele está num sorriso diferente, 
num gesto inexpressivo, 
num olhar indiferente,
em algo impresivel.

Mas o sorriso é inesquecível
o gesto, como se fosse único
o olhar, impnotizante
o impresível, o que você mais queria.

Não sabemos explicar o porque disso
talvez por isso seja tão bom amar
talvez por isso, todos procuram tanto um amor.


Nenhuma palavra rabiscada, em lugar algum
será suficiente para explicar o amor.

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Acordando




Queria te acordar..
com um beijinho de bom dia
sentir seus lábios, delicadamente nos meus
ver seus olhinhos se abrindo, 
acariciar seu rosto,
ver seu sorriso, o primeiro do dia.

Devagarinho, te ver despertar,
em meus braços, meus abraços
Desembaraçar seu cabelão em meus dedos
Despertar seu corpo, junto ao meu.

Sussurrar baixinho em seu ouvidinho
pra que seja a primeira coisa a escutar
pra que não se esqueça, até que eu repita pra te lembrar:
"Tii amuuu".

Pense

"Lembrar é fácil para quem tem memória. Esquecer é difícil para quem tem coração."
Shakespeare

Climatempo

Angel

02/07/08

De almas sinceras a união sincera
Nada há que impeça: amor não é amor
Se quando encontra obstáculos se altera,
Ou se vacila ao mínimo temor.
Amor é um marco eterno, dominante,
Que encara a tempestade com bravura;
É astro que norteia a vela errante,
Cujo valor se ignora, lá na altura.
Amor não teme o tempo, muito embora
Seu alfange não poupe a mocidade;
Amor não se transforma de hora em hora,
Antes se afirma para a eternidade.
Se isso é falso, e que é falso alguém provou,
Eu não sou poeta, e ninguém nunca amou.

William Shakespeare